Teoria em prática


Aula de História da Educação propõe atividade prática

Publicado em 11/9/2018

Os alunos do terceiro ano do curso de Licenciatura em Educação Física e quarto ano do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas colocaram a teoria em prática durante a aula de História da Educação, ministrada pela professora Ana Paula Pereira, nessa segunda-feira, 10. Eles desenvolveram trabalhos práticos utilizando as metodologias desenvolvidas por Célestin Freinet, John Dewey e Maria Montessori.

A proposta da aula foi trabalhar, em uma perspectiva prática, as correntes teóricas que emergiram na década de 1930 com o movimento da Escola Nova, segunda a professora Ana Paula. “O movimento foi ímpar para pensarmos inúmeras transformações político-pedagógicas no campo da educação. Para essa aula, trouxemos as três correntes pedagógicas principais do movimento”, pontuou.

A turma foi dividida em três grupos e cada um apresentou uma prática baseada em uma metodologia de um teórico, além disso toda a organização da aula foi pensada pelos acadêmicos. “Os aspectos que são fruto das mudanças causadas por essas metodologias foram discutidos em sala previamente”, continuou Ana Paula. “Desenvolvemos essa prática todos anos nessa disciplina. É uma forma de trazermos à tona esses teóricos para pensarmos algumas modificações ou reflexões no campo político-educacional”, completou.   

Maria Montessori

A médica e pedagoga italiana Maria Montessori foi o tema do trabalho do grupo do aluno Anderson Castro, do quarto ano do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas.

“A sua metodologia se caracteriza por dar às crianças o protagonismo do desenvolvimento do seu conhecimento. Naquela época, a criança era passiva e o professor detentor do conhecimento, então Maria Montessori propôs que a criança construísse seu próprio conhecimento, além de pensar uma sala de aula onde a criança se sentiria à vontade”, explicou.

John Dewey

O método pensado por John Dewey, filósofo e pedagogo norte-americano, colocou a prática como parte importante do processo de aprendizagem, segundo o aluno do terceiro ano do curso de Licenciatura em Educação Física, Marcos Aurélio Moraes.

“Reproduzimos suas aulas, nas quais os alunos eram os responsáveis por criar suas estratégias e ideias, não como na maneira convencional de sala de aula. Essa atividade nos proporciona uma vivência da profissão, porque, além de todo o conhecimento adquirido, vemos como é um controle de turma”, acrescentou.

Célestin Freinet

A pedagogia de Célestin Freinet, pedagogo francês, valoriza o meio social e defendia que a aprendizagem acontece de maneira mais eficaz através da experiência, segundo o aluno do terceiro ano do curso de Licenciatura em Educação Física, Claudio Mendes.

“Nós trouxemos uma atividade que estimule a criança a pensar e criar, saindo da teoria e indo para prática. A vivência proporcionada pela atividade nos tornará profissionais completos, capazes de contribuir muito mais para o desenvolvimento do conhecimento dos nossos futuros alunos”, finalizou Claudio.


Veja Também: