Roda de Conversa sobre o Encontro de Mulheres Estudantes


Alunos se reúnem no Escritório da Cidadania

Publicado em 23/3/2018

O campus José Vinciprova sediou, nessa sexta-feira, 23, a Roda de Conversa sobre o 8º Encontro de Mulheres Estudantes (EME) para fomentar um bate papo crítico sobre a condição feminina na sociedade atual, além de divulgar o evento que acontecerá no próximo fim de semana. Alunas de diversos cursos participaram do encontro que foi uma iniciativa do Diretório Acadêmico do curso de Direito em parceria com o Escritório da Cidadania.  

Bianca Campos, que faz parte da coordenação Setorial de Mulheres da União Nacional dos Estudantes, UNE, e Levante Popular da Juventude, comentou que a ideia foi abordar o tema de maneira informal. “A conquista de direitos para as mulheres dentro da sociedade melhora a qualidade de vida dessa população o que, consequentemente, facilita o acesso delas à universidade. Trazer isso para dentro de uma instituição de ensino é fazer com que os alunos pensem sobre o tema e proponham soluções para mudar a nossa realidade”, frisou.

A formação universitária não deve se restringir ao espaço formal da sala de aula, segundo a professora Daniele do Val. “Muito mais que profissionais, a missão do UniFOA é formar seres humanos com senso crítico bem desenvolvidos e embasados teoricamente. Apesar de se tratar de um tema que aborda as mulheres, ficamos felizes por receber homens, porque falar sobre os direitos das mulheres perpassa pelos homens também”, comentou a professora dos cursos de Direito e Serviço Social.

O tema foi trazido pelo presidente do Diretório Acadêmico do curso, Matheus Moreira, e pela vice, Yasmin Carmo. “Fui procurada para divulgação do evento principal para que divulgássemos entre nossos alunos e logo apresentei aos professores e ao Matheus, por se tratar de um tema temos contato dentro de sala de aula, mas que é sempre importante agregar novas informações”, explicou Yasmim. “Estamos trabalhando para trazer eventos que abordem mais a questão social, para que estimulemos uma formação não só técnica, mas mais humanista dos alunos”, acrescentou Matheus.

Darío Aragão, responsável pelo Escritório da Cidadania, ressaltou que o espaço existe para debater temas que ainda são tabus na sociedade e precisam ser discutidos. “Quando falamos em cidadania é impossível não passar pelo enfrentamento das distorções que encontramos na sociedade, porque são elas que promovem a inibição de ideias e ações. Ver o diretório levantando esse debate nos deixa muito feliz, pois é sinal que nossos alunos estão atentos a essas distorções e querem contribuir com a melhoria da sociedade”, concluiu o professor, lembrando que outros eventos que abordam temas sociais estão sendo programados.


Tags:

Veja Também: