Combate à intolerância religiosa


Frase de campanha criada por alunos é destaque no sambódromo da Marquês de Sapucaí

Publicado em 5/3/2020

Por Matheus Freitas

"Independente da sua fé, o respeito deve prevalecer”. A frase em destaque criada pelos alunos dos cursos de Publicidade e Propaganda e Jornalismo, foi tema da abertura da escola de samba Estação Primeira de Mangueira, no domingo de carnaval, 23 de fevereiro. Por meio da parceria entre o Escritório da Cidadania do UniFOA e a Comissão de Combate à Intolerância Religiosa do Rio de Janeiro, os alunos dos cursos tiveram a oportunidade de criar uma campanha internacional de alta visibilidade que foi aproveitada também no carnaval.

Segundo o professor responsável pelo Escritório da Cidadania do UniFOA, Darío Aragão, a demanda do projeto surgiu do professor Ivanir dos Santos que é parceiro do UniFOA e em julho do ano passado esteve nos Estados Unidos recebendo um prêmio do Departamento de Estado Americano pela importância na luta contra a intolerância religiosa. Mike Pompeo, foi responsável pela entrega da honraria de referência mundial. Ainda em solo norte-americano, Ivanir solicitou uma campanha de combate à intolerância religiosa que prontamente foi atendida e criada pelos alunos do UniFOA.

Participante do projeto e aluna do curso de Publicidade e Propaganda, Larissa de Paula explicou que a criação do projeto aconteceu na Agência de Comunicação Integrada (ACI) da instituição e o convite para atuar na campanha partiu do professor Douglas Gonçalves. “O processo de criação foi alinhado diretamente com ele, onde dividimos ideias e sugestões de Layout. A ação foi elaborada com intuito de provocar reflexão no próximo”, disse a aluna. 

 “Conseguimos fazer frases marcantes de cada religião alertando o público que a reação dele sobre aquela frase iria determinar tudo, se ele é ou não intolerante”, relatou Douglas Gonçalves, coordenador do curso de Publicidade e Propaganda.

Os produtos da campanha já foram divulgados na França, Estados Unidos e nos países Latinos. “A campanha de Combate à Intolerância Religiosa é perene e não tem prazo para acabar. Enquanto houver intolerância trabalharemos juntos”, finalizou o professor Darío Aragão.


Registro de um dos encontros da equipe ao longo do desenvolvimento da campanha

Veja Também: